Dias mãeores

um blog de mãe para recuperar o tempo perdido em dias sempre mais curtos que o desejado

terça-feira, maio 10, 2005

A menina do Mar e a pequena bolota

100_1132

A menina do Mar é o meu disco de infância.
Uma daquelas histórias bonitas, inteligente, bem locutada e com música de Fernando Lopes Graça, que provam que as coisas para crianças podem ser projectos de uma criatividade arrojada e exigente e por isso mesmo, constituirem marcos fundamentais no nosso crescimento e conhecimento do mundo.
Para mim este disco foi o momento mágico de cada dia durante muitos anos.
Ouvido repetidamente até à exaustão, ainda hoje me deixa com vontade de abrir a coluna de som para ver a menina dançar.
E agora que o vinil é impossível de encontrar a EMI/Valentim de Carvalho resolveu reeditar a versão original em CD. Para mim foi a história de um reencontro feliz.
Leiam a história, oiçam o disco e deixem-se enlear.


A pequena bolota

A pequenina bolota, projecto promissor de gente grande, é o Gabriel Azinheira a quem deixo esta homenagem carinhosa:

100_1179

"nobody,
not even the rain
has such small hands"

e. e. cummings

4 Comments:

  • At 11 maio, 2005 09:58, Anonymous mãezita said…

    - Mamã, abre ali!
    - A mamã não pode abrir porque se estraga....
    - Mas eu quero ver a menina dançar!
    Chega de longe, enche-me o peito, humedece-me os olhos essa viagem no tempo a uma vozinha com 3 anos de idade, a um ouvido colado à coluna de som, a um cabelinho ondulado espalhado na alcatifa da sala e a uns olhos doces, doces ávidos de ver e conhecer...
    mãe

     
  • At 11 maio, 2005 18:03, Blogger Sara MM said…

    vou ler...
    gostei ainda mais do "relato" da mãezita - a mãe do montanhacima certo? :o) muito gosto!
    BJs às duas

     
  • At 12 maio, 2005 18:16, Blogger ana ventura said…

    Que delícia o Gabriel!
    O comentário da sograzita faz com as lágrimas apareçam no cantinho dos olhos! Que lindo...

     
  • At 13 maio, 2005 10:58, Anonymous salomé said…

    sentávavamo-nos naquelas cadeiras de madeira antiga na minha escola primária, perdida numa dessas ruas de lisboa, a Albertina lia um livro da sophia de mello para os seus alunos atentos. Foi assim o meu 1º contacto com a maravilhosa história que é a menina do mar, foi de longe a que mais gostei, talvez por a ter descoberto de novo agora aos meus 30 anos. ainda estou a ver a Albertina a ler a fada oriana...que choro que foi!
    obrigado pelo retorno ao tempo perdido

     

Enviar um comentário

<< Home