Dias mãeores

um blog de mãe para recuperar o tempo perdido em dias sempre mais curtos que o desejado

segunda-feira, setembro 19, 2005

Histórias absurdas



À beira do lago, ondulante e bonacheirão, o anjo oscilava com a brisa da tarde.

Pés na água, slap, slap, salpicando ao de leve as rãs mais próximas e assustando o achigã gordo, o anjo sussurrava onomatopeias de ruídos de bichos como quem canta uma ladaínha.

MMMMMMmmmmmmmmm,rrrrrrrr,sss,,crrrrriiiiicc,
ffsshhhhhhshhhh,ccuuuuucuuuurrrrruuuuuuuu,ccccrrreeeccccc,
pppiiiiiuuuuuuuu,zzzzzzzzzzzzz....

E neste embalo, quando todos os bichos já tinham entrado em transe e meditavam atingindo o Nirvana, o sol desapareceu no horizonte e o anjo foi chamado para o jantar.
Sccchhlllerrppp, sccchhhhlerrrpppp
Sooopinhaaaaa...

VVVVVuuuuuuuuuuuttttttttt...
som de asas na brisa noctura.
Súbitas e hipnotizantes.

3 Comments:

  • At 19 setembro, 2005 17:43, Anonymous Anónimo said…

    Tu é que me deixas em transe enternecido...

    Anjo flutuante

     
  • At 20 setembro, 2005 13:57, Blogger daniel said…

    O turista acidental aqui é um verdadeiro transe(unte) mesmo que ande um pouco (tr)ausente...

     
  • At 20 setembro, 2005 22:22, Blogger Ahraht said…

    Súbitas e hipnotizantes... na noite a voar como libélulas esquecidas... O anjo é mais que um bicho, mais que o achigã, mais que as rãs salpicadas....é o próprio lago.

    recrecrecrec....bzzzzzzzzzzzz.

    bzzzzzzzzzzzzzzzz.

    Ó anjo! Olha a sopa a arrefecer....

     

Enviar um comentário

<< Home