Dias mãeores

um blog de mãe para recuperar o tempo perdido em dias sempre mais curtos que o desejado

domingo, fevereiro 06, 2011

tricot marciano!







Este Sábado foi dia de aprender a tricotar a preceito.
Na verdade, tricoto há muitos anos mas a minha aprendizagem foi sempre um bocado a olho, o que aliado a uma patológica incapacidade para seguir instruções, me limitou sempre a técnica (mas felizmente não a criatividade).
O problema é quando descobrimos que o método que usamos não é método nenhum conhecido (é um abastardamento do método continental e mais uns pozinhos dos outros todos) e que por isso mesmo as instruções (já de si difíceis de decifrar) são verdadeiramente impossíveis de sistematizar pois é preciso inventar formas de dar a volta ao que está escrito.
Ser a marciana do grupo tem as suas desvantagens e confesso que nalguns momentos me desmotivou verdadeiramente. Acho que finalmente senti na pele o que é pertencer à ala das necessidades especiais, fingindo que se está numa sala de estudo integrado mas na verdade sempre fora do esquema e com menos ferramentas.
O que vale é que a Rosa lá foi inventando umas formas de darmos a volta à questão (que eu espero sinceramente conseguir relembrar se algum dia me atrever realmente a seguir instruções em tricotês dos livros que comprei) e mal ou bem consegui terminar o receituário que tínhamos como programa.
Agora que, em casa, percebi que consigo ler uma receita de tricot e entendê-la (quase) na íntegra voltou-me o ânimo e a perseverança. Apesar da pouca ergonomia das metodologias inventadas nalgumas das soluções de recurso que foi preciso encontrar para mim no curso, acredito que com bom senso e raciocínio a coisa há-de ir lá. Caramba tanta geração de tricotadeira analfabeta e eu aqui enredada nas siglas, nos movimentos e nas técnicas. Pode lá ser!!!

Etiquetas:

5 Comments:

  • At 07 fevereiro, 2011 09:20, Blogger Pé na estrada said…

    O que vale é que nunca me enganaste!!!
    Não podias ser uma mera terráquea, Marte está-te no sangue, verde, já se vê, ou não fosses tu marciana!!
    Ora a dificuldade em tricotar e nas outras coisas demais manuais prende-se seguramente com as tenazes que tens em lugar das mãos, nas quais colocas umas luvas de pele humana e lá vais enganando mais uns e outros... A cabecinha ser tão pouco dada a instruções está igualmente cientificamente provado. As marcianas sempre primaram por executar as suas tarefas com almas e corações (sim, marcianas têm muitas almas e vários corações para bombear o sangue verde, claro está).
    O cérebro com as suas sinapses tri-dimensionais servem para coisas mais das áreas das letras, poucas matemáticas por assim dizer. Aí está uma das explicações para ainda não nos terem invadido, tal como imaginado nos filmes.

     
  • At 07 fevereiro, 2011 21:54, Blogger Costinhas said…

    Para mim, ter uma colega "marciana" foi uma benção porque sempre deu para rirmos um bocadinho e percebermos que não importa tanto o método que se usa, mas sim a paixão e dedicação que de põe em cada trabalho :)

    Adorei a camisola! E o bloco de notas :)

    beijinhos

     
  • At 07 fevereiro, 2011 21:55, Blogger Costinhas said…

    Ah... sou a Sandra, a que estava à tua frente :)

     
  • At 07 fevereiro, 2011 23:23, Blogger InêsN said…

    olha eu ali :))

    (gostei muito do grupo que se juntou para aprender mais um bocadinho e da entre-ajuda que se criou)

     
  • At 18 fevereiro, 2011 00:55, Anonymous tola bem aquecidinha said…

    pois bem, sejas tu ou neste caso o tricot marciano, gostei muito do meu gorrinho e desta vez, está do meu tamanho.
    Muito obrigada e bola para a frente!!
    fizeste uma inginheira muito feliz e com as orelhinhas quentinhas!!!! ;-)

     

Enviar um comentário

<< Home